Alice no asfalto

Sem olhar para os lados, os passos largos e decididos para a sua idade, ela vem descendo a calçada em direção à pista. A calçada é seu terreno. Dela, das crianças que andam de bicicleta e dos cachorrinhos que inundam as manhãs de sol. De um lado e do outro do passeio, duas fileiras de árvores imensas transformam o local em uma aleia fresca e escura. Mas a menina, muito magra e muito branca, caminha quase levitando pela calçada, a caminho do asfalto. O asfalto é o terreno das feras da cidade. Carros passam a cada segundo, uns vagarosamente, outros zunindo sem razão. Imaginam que a cidade é só deles. Esquecem que a cidade também é das pessoas que andam nas calçadas. Alice agora está a poucos m

O campo de futebol

Nada mudou tanto no futebol nos últimos anos quanto o campo, o local onde se realiza a peleja. Não falo das medidas ou altura das traves, que estas permanecem. Refiro-me ao todo. Quem frequentou, como eu, estádios nos anos 70 e 80, e hoje entra em uma dessas arenas grandiosas, sabe do que estou falando. Antes o conforto era mínimo, pois o que importava era unicamente o futebol. A segurança também era mínima. Uma foto deliciosa que circula na internet mostra um jogo no Maracanã lotado, com algumas dezenas de torcedores fanáticos vendo o jogo de cima da marquise do estádio. Bons tempos! Diriam os saudosistas, quando tudo era menos. Menos caro e menos complicado, ainda que mais perigoso. E os c

Procurar por tags
Arquivo

© 2015 por Bruna Rocha. Orgulhosamente criado com Wix.com