Por um jornalismo baseado em fatos para combater as fake news

As fake news voltaram a atacar com força total durante a pandemia de coronavírus. E não são poucas as pessoas que acreditam nelas e as repassam adiante. O resultado é que muita pseudo-ciência acaba virando verdade. Ou então, na seara da política, o que talvez seja mais grave, notícias inventadas são repassadas como oficiais, ou as oficiais são retiradas do ar, criando um verdadeiro caos informativo na sociedade. O tema das notícias falsas não é novo, mas as redes sociais o elevaram a um nível preocupante. A estudiosa espanhola Mar de Fontcuberta Balaguer, autora de “A notícia: pistas para compreender o mundo”, já alertava no final dos anos 1990 para o perigo do “não-acontecimento jornalístic

Literatura para combater a violência contra a mulher

Os números que escancaram a violência contra a mulher no Brasil são tão terríveis que bastariam para que no próximo dia 8 de Março milhões de pessoas voltassem às ruas, numa espécie de Carnaval às avessas, para dizer: chega! Outros países já disseram "chega!" por bem menos. Cito apenas a Argentina, que no ano passado foi para as ruas no movimento: "Basta de femicidios: #NiUnaMenos - Que las ninãs no crezcan pensando que las pueden matar". Não foi apenas uma passeata. O movimento influenciou a eleição presidencial e está mudando a politica do país. Mas já que falamos de números, aqui vão alguns. Segundo o site G1, o Brasil teve um aumento de 7,3% nos casos de feminicídio em 2019 em comparação

Procurar por tags
Arquivo

© 2015 por Bruna Rocha. Orgulhosamente criado com Wix.com